terça-feira, 20 de junho de 2017

Enquanto o remake de VII não vem, vamos jogar Final Fantasy IX?

Para minha história de fã de Final Fantasy ficar completa ainda preciso jogar o 5, 6, 8, 9 e Type-0, No tédio desta espera pelo remake do VII, até mesmo pelo remaster do XII (que também vou jogar) e enjoada de XV, descobri que o IX estava disponível para ser jogado no PC e também no celular e como sempre quis jogar este mais do que os outros que me faltam, resolvi começar por ele. E convenci vários do grupo do WhatsApp a jogar também, de forma que está sendo super gostoso, embora ainda no início.

A versão do PC me surpreendeu demais! Está linda, linda!!! Realmente não parece ser um jogo de 17 anos. Dizem que o port para o celular está maravilhoso também.

Este Final Fantasy foi produzido por duas lendas da Square Enix: Hironobu Sakaguchi e Shinji Hashimoto e é um clássico com tudo que amamos: party livre com 4 dos 8 personagens jogáveis, turnos, magias, atb, baús, cidades, ah... tudo!!!

A sensação é de nostalgia e deleite total! É como voltar para casa depois de um longo período viajando. A gente respira fundo e apenas relaxa...

Quem se interessar em jogar conosco, seguem algumas informações:

A versão da Steam custa R$ 39 e a versão do celular $70.

Ambas possuem genéricos que podem ser encontrados na net.

É possível adicionar legendas em português e elas funcionam muito bem! Este é o link para a legenda: tradução

A versão do PC pode ser ligado à uma tela de tv via HDMI e jogado com um controle de Xbox ou PS4 e a sensação é a mesma que com consoles. (É o que estou fazendo)

Se quiser jogar conosco será muito bem vindo(a):


sexta-feira, 14 de abril de 2017

Persona 5: dica de dinheiro fácil e rápido no início do jogo


Vá na Playstation Store e baixe grátis a DLC Healing Item Set. Saia do jogo completamente e entre novamente para ativar a DLC. Estando dentro do quarto, vá até o caixote com os pertences do personagem e pegue os itens. Vá até o vendedor de armas e venda o item Soma por $50.000 rupees!!!

(Zelda) Hateno Village, Hateno Ancient Tech Lab, Myahm Agana Shrine


Decidi seguir direto para o Hateno Village, onde encontraria o laboratório que a Impa me indicou ir quando finalizei a quest da história Seek Out Impa. E consegui chegar lá rapidamente. Sair de lá é que está parecendo ser um problema. rs

Hateno Village está ao norte de Kakariko Village e é uma vila bem maior, com muitas casas, lojas, pessoas e coisas para se fazer. Gente... Estou tão perdida! Além de uma nova quest principal (e agora já são tres!), tenho umas 5 ou 6 quests paralelas e pior, sem grana alguma. Em duas delas ao menos tenho que ter dinheiro. 3.000 para comprar uma casa e míseros 20 para dormir no Inn ou para tingir minha roupa... Vida dura!!!

Quests acumulando...

Mas, voltando ao meu jogo, chegando no laboratório conheci esta simpaticíssima pessoa da primeira imagem, Purah. Uma centenária cientista que aparenta ser uma garotinha. Ela diz que pode restaurar meu Sheikah. Para fazer isto só precisa que eu pegue um pouco de um fogo azul que está lá embaixo e traga até o lab. Parece tão simples!!!



Mas não é! O laboratório está muito longe. Tentei com uma flecha, mas ela apaga em pouco tempo. Tentei com uma arma de madeira, mas ela quebrou na metade do caminho. Jeito foi voltar ao lab para pegar uma tocha que tinha por lá. Com a tocha sim, funcionou. No caminho tem uns tocheiros que posso acender e assim, caso a tocha apague não preciso voltar todo o caminho. Felizmente isto não ocorre e chego até o lab sem maiores problemas. Isto resolvido, meu Sheikah é consertado e ganha uma nova habilidade: o modo câmera.


Ela me conta que através deste modo poderei acessar minhas memórias. Tem um album com fotos do passado. Estas fotos não dizem nada a ele e Purah sugere que ele converse com a Impa lá em Kakariko Village. Assim, este passa a ser o novo objetivo principal.

Junto com a câmera foi adicionado o Hyrule Compendium. Pelo que entendi e o André me explicou é um recurso muito útil. Posso fotografar qualquer coisa: criaturas, monstros, comida, equipamentos ou tesouros e colocar esta foto no sensor que me indicará sempre que estiver próximo a um. Desta forma, quando estiver precisando de um ingrediente, por exemplo, basta colocá-lo em foco no sensor e sempre que estiver perto de um, saberei. 

Hyrule Compendium

Também ela me diz que se eu levar a ela alguns Ancient Componentes ela pode aumentar o poder de minhas runas, com 3 novas funcionalidades. O Sheikah Sensor (que expliquei acima) precisa de três ancient screws, o Remote Bombs precisa de três ancient shafts e o Stasis precisa de três ancient cores. Ela me diz que quando tiver estes itens devo encontrá-la ou a uma pessoa chamada Robbie no laboratório de Akkala Ancient, seja lá onde for isto.

Eu tenho os ancients screws, mas não os outros itens. Fico sabendo que preciso derrotar os guardiões, estas máquinas eletrônicas que disparam um laser mortal que encontrei ativos logo no início do jogo e que depois só encontrei desativados. Aliás, é deles que peguei os ancient screws que tenho. Presumo que logo logo começarei a dar de cara com eles vivos. Muito provavelmente no caminho para esta tal de Akkala. Medo!!!

Antes disto fiz a Shrine próxima à vila: a Myahm Agana.



Quando vi a encrenca pensei que seria agora que abandonaria Zelda. Eu estou sempre a espera daquele momento que o jogo vai me exigir fazer algo impossível (para mim), com trocentas combinações de botões ou que exigem um super controle do personagem. 

Nesta Shrine é necessário usar o Wii U GamePad porque precisamos controlar a movimentação desta plataforma acima, de forma a fazer com que a bola caia na plataforma à frente dela e corra até o buraco mais abaixo. Ok. Ok.

Eu tentei um pouco, mas perdi a paciência com o labirinto. Virei a tal plataforma do lado liso, encaixei bem para ela correr direto na direção da outra plataforma e quando estava na ponta dei um peteleco para cima de forma que ela quicou para cima e caiu bem onde eu queria!!! 

Ah! Eu amo a forma como este jogo faz eu me sentir esperta! lol

Agora tenho 4 Spirit Orb e já posso trocar por mais vida ou stamina, mas preciso de um lugar onde rezar. 

Bolson, um homem um tanto quanto afeminado, de quem posso
comprar uma casa por míseros 3.000 rupees
 (que eu não tenho!)

Enquanto procuro e antes de voltar à Kakariko Village, vou dar uma limpada nestas quests paralelas, mas primeiro preciso de dinheiro. Tenho gafanhotos, preciso de monstros.

É impressionante o quanto o jogo me pega. Eu saí para caçar monstros, daí acabei dando na praia, encontrei um monte de pedras preciosas e fui andando, andando. Achei os monstros de uma das quests de Hateno Village, matei, recebi a recompensa, vendi as pedras, dormi na hospedaria, descobri o que a hospedeira gostava, tingi minhas roupas... Só não consegui 3.000 para comprar a casa. Ah, também encontrei uma estátua diabólica que troca corações de vida por barras de stamina e vice versa. Rezei e ganhei uma barra de stamina na estátua certa. Ufaaa...

Estátua endemoniada de Hateno Village troca corações por stamina e vice-versa
Enfim, não tinha nada mais a fazer ali, de forma que voltei para Kakariko Village, para falar com a Impa e ter mais informações sobre estas memórias, mas isto é assunto para o próximo texto. 

Agora, troca, entra Persona 5 que não jogo desde domingo passado. Inté.



terça-feira, 11 de abril de 2017

Persona 5: estiloso, história envolvente, personagens cativantes, combate instigante. É muito jogo para poucos gamers!


Quem nunca jogou um Shin Megami Tensei Persona pode ficar chocado e maravilhado ao primeiro impacto com a franquia. O visual é exageradamente cartoonizado e colorido, como se estivéssemos lendo uma história em quadrinhos. E Persona 5 não apenas mantém o estilo como o aprimora, com cores vibrantes e um desenho bem feito e estiloso que o torna único!

Eu joguei dois Personas alguns anos atrás e sou apaixonada por eles. A data do lançamento deste estava agendada aqui, mas nos últimos dias antes comecei a jogar Zelda Respiração Selvagem e acabei desviando da meta original. Comecei este final de semana ansiosa e totalmente inocente. Nem ao menos reviews quis ler. Queria ter este prazer de pegar um jogo sem saber nada nada dele. E tive!


DINÂMICA DO JOGO

Os Personas seguem mais ou menos um mesmo padrão: alguns estudantes se reúnem em uma equipe para solucionar algum mistério ou sanar algum mal que esteja ocorrendo próximo a eles. Estes estudantes durante parte do dia vão à escola, assistem aulas, estudam na biblioteca, tem atividades com os colegas, professores, etc... Durante a noite podem fazer alguma atividade em casa antes de dormirem. Entre a escola e dormir vão para a dungeon lutar. Eles normalmente só lutam nestas dungeons que estão em um universo paralelo.

Persona Carmen
O objetivo normalmente é chegar à última sala de uma torre e lá, claro, derrotar o boss final. Nos outros Personas existia apenas uma gigantesca dungeon, em Persona 5 existem algumas. Não sei quantas ainda.


Nas dungeons eles lutam utilizando armas de fogo ou espadas, etc... ou através das magias dos Personas. Personas são personagens mágicos que cada um deles pode invocar. Normalmente o personagem principal pode ter mais de uma Persona e escolher com qual irá lutar na dungeon e os demais personagens tem um Persona fixo desde o início. Através deles podemos utilizar magias no jogo, para atacar, curar, etc...

Igor e suas assistentes
Os Personas evoluem juntamente com os personagens e ganham mais spells ou ainda, os mobs do jogo podem ser capturados, tornando-se Personas e então fundidos em uma sala especial chamada Velvet Room gerenciada pelo Igor e suas charmosas assistentes, gerando a criação de outros, mais poderosos ou com magias diferentes e melhores.


Passagem de dia no jogo
A passagem do tempo em Persona 5 como em todos os demais é crucial. Temos um prazo para executar os objetivos. É preciso ficar muito atento para não perder o prazo, ou chegamos ao Game Over e temos que voltar para um save mais antigo. Normalmente assim que acordamos, vamos à escola (exceto aos domingos) e assistimos à uma aula. Após a aula somos livres para a) compras, b) vagabundagem exploração, c) encontros com equipe ou npcs, d) atividades que melhorarão o personagem como estudo, banhos, etc... ou, e) ir à dungeon. Depois de uma e apenas uma destas atividades (exceto compras que não dispende tempo), voltamos à casa para dormir. Antes de dormir, às vezes, podemos fazer alguma outra atividade como compras, trabalho, cinema, encontros etc... Mas nem sempre.

Existem muitas lojinhas vendendo um monte de coisas: armas, itens, bugigangas, etc... Lugar mais barato para comprar poções é a Drugstore. Lugar de vender coisas é na loja de armas e equips.

Assim, temos sempre que optar por uma coisa ou outra. Ou vamos encontrar alguém ou batalhar. Ou estudar ou batalhar. E os dias passam em um piscar de olhos!


SISTEMA DE COMBATE

Persona 5 tem sistema de combate baseado em turnos. Isto não quer dizer um sistema lento ou chato. Ao contrário! É cheio de manhas e truques. É desafiador e instigante!

O primeiro desafio é dosar o sp, o uso da magia. Ocorre que o sp é fundamental nas batalhas. Primeiro porque é o que as Personas usam para as magias e elas podem curar além de atacar.

Ao menos no início do jogo o dinheiro é muito curto e temos que optar entre comprar uma arma melhor ou comprar poções de HP. Poções de SP não são vendidas (ao menos neste início). Você somente pode recuperar a vida e a magia dos personagens quando dorme e não é possível dormir nas dungeons. Assim, acabou o sp, acabou o dia. É voltar para casa e dormir. :(

Não existe save automático e o save manual somente é possível em alguns momentos do jogo e dentro das dungeons somente nas salas seguras, o que dificulta ainda mais o avanço com pouco sp disponível. É possível ganhar poções de sp nas dungeons, mas são escassas.

No combate em si é interessante usar as magias dos Personas por causa do sistema de fraquezas dos inimigos. Se atacamos um com sua fraqueza, isto irá o tontear. Se conseguimos tontear todos da luta, uma nova opção surgirá e podemos escolher entre negociar com os mobs, deixando-os viver em troca de poder, dinheiro ou itens ou dar um ataque especial com toda a equipe, o que quase sempre encerra a luta.

Nesta opção de negociar, se soubermos escolher as respostas certas às perguntas que eles farão, podemos ganhar um dos mobs como Persona. Neste caso, perdemos o xp, dinheiro e itens que resultariam caso os matássemos.

Existe mesmo a forma correta de se falar com eles, dependendo de sua personalidade. Sim! Os mobs tem personalidades. rsrs Eles podem ser sombrios, irritáveis, tímidos ou otimistas. E... Alguns mobs irão implorar para que poupe suas vidas. kkkk

Veja aqui um guia para negociação, caso se interesse.

Isto foi só uma passada de olhos. Tem muito mais a se falar sobre o sistema de combate e merece um post a parte, em breve. :D


HISTÓRIA E PERSONAGENS

Então, peguei o jogo e entusiasmada e inocentemente comecei a jogar, doida pelas lutas na dungeon. E passa uma hora vendo histórias e nada. Passa duas, três, quatro... Uma lutinha aqui, outra ali e só. Horas e mais horas somente na introdução, na apresentação dos primeiros personagens, na ambientação da história, na inicialização da trama. Eu demorei aproximadamente 6 horas nisto. Acho que pode ser feito em umas quatro ou cinco horas.

Personagem principal nomeável
A história gira em torno de um jovem estudante que logo ao início é preso por tentar roubar algo. Na sala de interrogatório ele conta sua história para uma advogada.

Tudo começou quando ele defendeu uma mulher de um atacante na rua. O atacante o processou, ele foi condenado e sentenciado a um ano de reabilitação em outra cidade e escola. Ele é abrigado por um desconhecido, Sojiro, que o faz por uma remuneração e por seus próprios ocultos motivos. Sojiro é frio com ele ao início, mas não maldoso.

Na escola ele é recebido com desgosto pela professora, com advertências pelo diretor e com desconfiança pelos novos colegas. E é entre eles que conhece seus futuros amigos e membros da equipe.

Embora a todo momento fiquemos sabendo sobre sinistros acontecimentos pela cidade, em que pessoas enlouquecidas fazem ataques ou explodem lugares e que acho que é trama real de Persona 5, ela inicia-se mais simplesmente, na própria escola, com um perverso professor que pratica bulling, bate nos alunos e molesta alunas sexualmente.

Este professor tem um ego tão grande que construiu um palácio em outra dimensão. Um palácio onde ele é o rei. Nosso objetivo passa a ser destruir este castelo para que ele mude seu coração, confessando seus crimes.

Embora seja uma trama comum (vide Life is Stranger), é muito bem construída e nos pega sem ser extremamente piegas ou apelona. Os personagens... Não tem como não simpatizar. Eles são cheios de personalidade, vitalidade, beleza, graça, encanto, charme. Quando você vê, já era! Você simplesmente TEM que prosseguir. rs

...

Bem, esta foi uma pequena introdução ao mundo de Persona 5.

Terminei a primeira dungeon e à partir daqui, passarei a postar sobre as outras, dicas, mobs, personas, etc...

Em resumo, apesar de achar que a Atlus pesou a mão nesta gigantesca introdução, não há como negar que este é um jogo memorável e sensacional!

Venha jogar comigo! :D



Nosso grupo de games, nerdices e geekices está aí:



sábado, 8 de abril de 2017

(Zelda) Misko, the Great Bandit, Hestu, The Priceless Maracas, Ta'loh Naeg Shrine, Kakariko Village, The Great Fairy Cotera, Arrows of Buning Heat e esquema para ganhar dinheiro

Misko, the Great Bandit


Como falei no post anterior, antes de mais nada queria saber o que seria este tesouro do Misko. Procurei no mapa a nascente do rio e fui para lá, a sudeste do estábulo. Na nascente, subi até encontrar uma rocha que poderia explodir com bombas. Isto feito, uma gruta apareceu, com 6 baús de tesouro cheio de gostosuras, uma das quais esta Flameblade. Demais!!! Ela tem fogo mesmo. Posso acender fogueiras e faz um estrago nos mobs! Usando com cuidado para não estragar. rs

Hestu, The Priceless Maracas


Tapando os olhos, segui diretão para Kakariko village. No caminho encontrei uma figura engraçada, Hestu, falando que suas maracas tinham sido roubadas. Como parecia bem pertinho e não me desviaria muito, resolvi ajudar.

Era um acampamento de bandidos bem próximo mesmo. Matei todos e peguei as maracas. Voltei, entreguei e como recompensa ele transforma os Korok seeds em aumentos da capacidade de armazenamento de armas, escudos ou arcos. Escolhi aumentar as armas primeiramente e fiz isto duas vezes. Infelizmente depois da segunda ele disse que teria que ir embora, mas que posso encontrá-lo sempre que tiver mais sementes, na Floresta Korok. E ainda explica que se eu me perder, devo seguir o Rio Hylla e continuar para o norte.

Ta'loh Naeg Shrine


Logo na entrada da vila Kakariko tem um caminho estreito lateral à direita. Subindo por ele encontra-se a nova Shrine. Ela consiste apenas em executar alguns movimentos de defesa e ataque. Realizando-os consegue matar o mob e a porta se abre. Tem 3 baús gostosos aqui.

Kakarico Village


Chego finalmente à vila. Primeira coisa encontrar Impa e encerrar a quest Seek Out Impa. Descobrir sua localização é fácil, pois todos parecem impressionados com meu Shellah Slate. Ela é uma senhorinha velhinha velhinha que esteve mais de 100 anos à espera do despertar de Link para lhe transmitir a mensagem de Zelda. 4 novos pontos de objetivos são traçados em meu mapa, como podem ver acima e são relativos à localização das 4 bestas que devo libertar antes de ir lutar com o malvadão e salvar a Zelda.


Ela também fala que posso recuperar minhas memórias e que para isto devo ir para Hateno Village e procurar um laboratório de pesquisas lá. Ok... Próximo objetivo. Se bem que...



Tentações não faltam. lol Vou pensar no que fazer primeiro.

The Great Fairy Cotera


Eu até subi em um monte elevado que tem acima da Shrine para ver se encontrava a tal da fonte, mas lá em cima só tinha umas plantas. Olhando com o zoom, acionei uma pequena cutscene. Eu também vi uns cogumelos brilhando a oeste do monte e já que estava ali mesmo, fui conferir.


Mas num é que era a tal fada? Depois de ajudá-la com dinheiro, ela se dispõe a melhorar minhas roupas, mas antes preciso comprar uma roupa que possa ser melhorada. Volto à Vila Kakarico para shopping.

Arrows of Buning Heat


Karariko Village tem lojinhas também. Oba! Em uma delas, a de arcos, a proprietária me passa uma quest em que devo atear fogo nas tochas próximos à deusa. O problema é que as tochas estão mergulhadas na água, mas resolvo com flechas de fogo, acendendo-as na fogueira próxima e lançando-as dali mesmo.


Chegando na loja de roupas eu comecei a salivar. Dois conjuntos de roupas, um hiper caro e outro mais ou menos acessível e ainda protegendo contra calor e tempo. Oh Pai! Eu estava tão sem dinheiro!!! O Thiago Fodão Andrez, sempre ele, me salvou com uma dica para ganhar dinheiro fácil. E esta imagem aí em cima é o resultado disto.

Fazendo dinheiro rápido


O esquema é que o Beetle ou a Beetle, nunca sei direito, uma pessoa com uma mochila enorme nas costas que encontramos às vezes pelo caminho, paga 100 rupees, mas atenção porque tem um truque: ele/a só paga isto quando fazemos e vendemos lá na estalagem/estábulo onde aprendemos sobre os cavalos. Transportei.

A receita para o elixir é 4 Bokoblin Fangs (pega daqueles esqueletos noturnos) e 1 Restless Cricket (gafanhoto). O gafanhoto a gente acha cortando grama. Eu nem sabia que dava para fazer isto. lol Tem que pegar uma espada de metal e cortar usando o Y. Prestar atenção para usar o A rapidinho quando aparecer um ou ele voa.

Fiz acho que 9 deles e vendi, conseguindo 1.400 rupees. Usei 100 com a fada e com os 1.300 restantes comprei o capuz de proteção para o sol e tempo e a calça e blusa que diminuem meu barulho e facilita me aproximar de monstros sem ser detectado. Uhuruuuuu!!! Queria comprar tudo, mas preciso de mais itens.

Voltei à Fada para ver o que ela faria com minhas novas roupas.


Cara, isto é bom heim?!?! Pior que a bandida me diz agora que se eu tiver um conjunto, terei um bônus. E eu não tenho!!! Capuz para completar meu conjunto custa $500 rupees. E estou a zero. Jeito é fazer mais elixires.

Depois. Agora...

Comprei Persona 5 e estou doida para pelo menos dar uma olhadela. Ainda hoje ou amanhã falarei sobre minhas primeiras impressões.

Inté!
terça-feira, 4 de abril de 2017

(Zelda) Ha Dahamar Shrine - The Water Guides You e um cavalo para chamar de meu!


Quando ganhei o parapente, também ganhei 2 missões principais. Uma é matar o bandidão e libertar Zelda e o mundo. Outra é ir até o vilarejo de Kakariko e falar com Impa. Isto foi alguns dias atrás. Tá ali. Tão perto! E tão longe!

O que é mais legal e ao mesmo tempo mais desconcertante em Zelda é isto: você não consegue manter o foco. Você está indo para a frente, por exemplo. Seu objetivo está a poucos metros. Daí à esquerda ou à direita, você vê algo que você quer: uma árvore que pode conter ovos, frutos ou cogumelos, uma ave ou animal que pode matar, uma construção diferente, uma florzinha que pode ser um Korok, uma pedra que pode explodir para obter uma gema, algum npc, uma fogueira... Eu penso: "vou, pego (ou faço, converso, etc...) rapidinho e volto para meu caminho.". Aí quando chego lá, à frente, tem algo mais que me interessa e quando vejo, já fui, horas se passaram, esqueci completamente o foco anterior. As distrações para te seduzir são infindáveis. A melhor forma de jogar é simplesmente relaxar e deixar acontecer. lol

Olha a distração: você pensa em matar o bichinho para pegar sua carne e chifres, etc...
Ele começa a correr. Você vai atrás. Já era. Adeus foco anterior. lol

Bem... No caminho até a vila, encontrei a Shrine anterior e com muita dificuldade, sendo bastante determinada, consegui chegar até uma estalagem onde poderia aprender a domar cavalos, porque acho que preciso de um cavalo aqui. rs

Ah... Pera... Antes disto eu fui na torre da área. Me falaram que a principal coisa a se fazer quando se chega em uma nova área é ir até a torre, porque nela você ganha o mapa da região e como bonus pode usar o zoom para procurar novas Shrines.

As torres são sempre vermelhas até que você as acione, quando se tornam azuis.

Nesta torre ganhei um sensor de proximidade de Shrines. É um ícone na tela que pisca e ganha uns círculos quando você está indo em direção à uma Shrine.


Cheguei na estalagem e estábulo Dueling Peaks Stable. Uau. Parecia um playground de tanta coisa gostosa. lol

Tem vendedores, gente explicando coisas, itens, fogueira, uma Shrine, o estábulo onde se registram os cavalos e... cavalos selvagens para capturar e domar.



O esquema para pegar um cavalo é simples: aperta o botão de movimentação para baixo para o Link andar agachado e não ser detectado pelos cavalos. Vai se aproximando devagar de um deles e quando chegar perto, A para montar e ele vai começar a escoicear para se livrar de você. Tem que ir usando o L até domar. Peguei o mais bonito que vi, todo malhado, fiquei toda feliz e logo depois o Thiago Andrez, meu amigo fodão em Zelda, falou que os de uma só cor são melhores. Estraga prazeres! :(

Depois de domar um cavalo é necessário voltar à estalagem para registrá-lo.
A partir de então estará disponível sempre que apitar, embora parece que temos
que estar relativamente próximos a um estábulo.
Eu tentei pegar um de uma só cor, mas eles escoiceiam demais e minha stamina acabava e eu caia. Podia ter usado um elixir de stamina ou uma comida, mas quero dar umas voltinhas com meu dócil Malhado antes. :D

Bem na frente da estalagem fica uma Shrine. Ela está cercada por espinhos. Tentei tacar fogo, mas eles estão molhados de água e não queimam. O jeito foi subir no barranco próximo e tentar pousar na pequena área de entrada.

Muita atenção nesta hora!!! Subindo no barranco, tem uma pedra para explodir e um pequeno caminho. Seguindo o caminho tem mais pedras. E depois tem um acampamento de bandidos. Já sabe, né? Foco!!! lol

Depois das pedras e dos bandidos, voltei ao barranco e consegui pousar.



Como o nome indica você usará o poder de criar plataformas à partir de água. Não é difícil, realmente. Eu descobri sozinha a solução e me senti o próprio crânio de tão esperta. Zelda faz isto conosco: nos ilude para pensarmos que somos espertos demais e eu sempre caio. kkkkkk




Ok. Sem tesourinho nesta Shrine. Peguei meu orb e me fui.

Vilarejo Kakariko cada vez mais perto, eu poderia chegar lá hoje. Mas quando estava na estalagem, ouvi uma conversa muito interessante:



Eu TENHO que checar isto. Vocês entendem, não? rsrs

Mapa até o momento. Estábulo, estalagem, as duas Shrines. Círculo acima é onde tenho que ir para a quest principal.
Pontinho na ponta inferior é para onde vou.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

(Zelda) Bosh Kala Shrine - The Wind Guides You - O vento te guia


Quando ganhei meu parapente, também ganhei uma nova quest principal, chamada Seek Out Impa, em que devo ir até um vilarejo chamado Kakariko e falar com Impa. A localização fica marcada no mapa quando você deixa esta quest ativa usando o A. No caminho para lá, encontrei uma nova Shrine.

Karariko Village é o ponto em amarelo. Bosh Kala Shrine é o ponto azul onde estou.

Esta Shrine é simples. Tudo o que se tem que fazer é usar o vento dos ventiladores para ajudar a chegar do outro lado das plataformas usando o parapente. Precisa correr com o B e na pontinha pular e logo em seguida acionar o parapente. B + X + X.

Me deu um certo trabalho conseguir isto, e são necessários alguns pulos para pegar tudo. Além do orb, o baú próximo a ele dá uma boa arma. A melhor até agora:


Prosseguindo...
sábado, 1 de abril de 2017

Zelda - Respiração Selvagem: primeiras impressões

Já podem ter imaginar quais são minhas primeiras impressões, não? lol

Conforme meu último post, depois de Final Fantasy XV fiquei sem ter um jogo para chamar de meu por dois meses. Tentei The Last Guardian, The Witcher 3 e Horizon Zero Dawn sem conseguir gostar de nenhum deles. Estava aguardando o lançamento de Persona 5 dia 04 de abril, semana que vem, quando surgiu a oportunidade incrível de comprar um Wii U usado à um preço incontestável. Comprei. Só para jogar Zelda. Nunca tinha jogado. Foi uma loucura, porque se não gostasse... Tudo bem, posso vender o Wii U, mas eu não queria uma nova decepção.

A primeira impressão, mal comecei, foi de familiaridade, de estar no meu ambiente, no tipo de jogo que gosto, mesmo sem nunca ter jogado um Zelda antes. Eu nem sei explicar porque parece tão familiar. Acho que o visual cartoonizado, o esquema todo à antiguinha, sei lá. rs

Não que ele seja menos moderno ou feio ou desajeitado, que é o que pensamos quando nos referimos à jogos antigos. Apesar de não ter a mesma definição gráfica de jogos de PS4, Zelda é super bonito, bem feito, com alguns elementos e efeitos especiais muito modernos e total e absolutamente intuitivo. Não precisa daquele monte de tutoriais e a tela é limpa, com quase nada de informações.

Jogabilidade simplificada

A história é bastante simples: eu sou Link, o tradicional herói de Zelda, que acorda em uma câmara de suspensão onde estava adormecido. Aparentemente 100 anos atrás um demônio chamado Calamity Ganon destruiu o reino de Hyrule e agora está em um castelo contido pela princesa Zelda, cujas forças estão prestes a acabar. Fui despertado do sono secular para derrotá-lo, salvando o reino e a princesa. Simples e eficiente. A luta final está disponível em poucos minutos após o início do jogo, mas recomenda-se antes fazer 4 shrines (dungeons) para readquirir o controle de 4 feras que poderão ajudar na luta com o boss.

A primeira coisa que chamou minha atenção foi que consegui escalar uma parede em um ponto qualquer, sem nenhuma marcação e depois descer por outro ponto qualquer. E é assim sempre: Link pode subir em qualquer coisa, praticamente. As árvores contém frutas que podem ser colhidas e ninhos de pássaros com ovos que podem ser coletados. Encontramos alimentos como cogumelos e plantas pelo chão e todos eles podem ser comidos crus ou cozidos separadamente em fogueiras ou agrupados quando se tem uma panela. Você pode adicionar até 5 ingredientes e descobrir receitas. É super gostoso! Além da liberdade de ousar e experimentar ingredientes diferentes, faz um barulhinho legal e os itens ficam pulando na panela. rs

Minha primeira comida não foi lá grande coisa. lol

Para cozinhar, primeiro tem se que encontrar uma panela com uma fogueira acesa embaixo. Se encontrar a panela mas o fogo estiver apagado, você deve ter ou uma tocha ou um galho, aproximar-se de uma fogueira acesa nas proximidades e atear fogo no item, levando-o até a lenha embaixo da panela. Com este método você, aliás, pode queimar qualquer coisa de madeira. Caixotes costumam conter algum alimento que é revelado depois de queimado. Portas de madeira podem ser abertas assim e também como defesa contra abelhas (se você quiser pegar o mel da colmeia sem morrer) ou morcegos que aparecem à noite ou qualquer outro mob.

A segunda já foi melhorzinha.

As armas vão sendo encontradas pelo caminho. No início é um simples pedaço de pau, depois algumas espadinhas, um machado, arco, depois flechas simples, mais para a frente flechas de fogo, vai aumentando o poder e complexidade das armas. Todas elas se desgastam e quebram depois de algum uso. Apego não é estimulado no jogo. rs




Logo na primeira fogueira encontrei um velho com quem conversei. Ele me fala algumas coisas sobre o mundo em que estou. Parece que esta é uma pequena área isolada do restante maior do reino de Hyrule e para sair e ir para a outra parte, incluindo o castelo onde está a princesa e o monstro, devo adquirir um parapente que permitirá ao Link pular de grandes alturas e aterrissar a salvo. O velho pode me dar um em troca de tesouros. Ele me pede para entrar em 4 Shrines e pegar o tesouro delas. Eu vou. Fazer o quê?

Estas Shrines são bem legais (até o momento). Elas consistem basicamente na resolução de algum quebra-cabeças e em cada um eu ganhei um artefato com algum poder sobre a matéria para ajudar na solução. No primeiro ganhei um imã que move objetos metálicos, no segundo um lançador de bombas incrível, no terceiro um mecanismo de parar o tempo, imobilizando objetos e no quarto um fazedor de pedestrais de gelo à partir de água, útil para subir em lugares altos ou desbloquear o caminho. É, tipo... sensacional, do car... !!!! kkkkk


Quando se finaliza uma Shrine ganha-se um um Spirit Orb. Troca-se 4 deles por, ou um aumento de vida ou um aumento na stamina. Stamina é o que o Link usa para correr, escalar ou nadar. Se acabar no meio, end game, ok? Troca-se rezando no Templo do Tempo. Esta construção grande logo no início do game.

Embaixo de uma pedra encontrei esta figura e ganhei um item. Parece que existem 900 deles no jogo e estes itens podem ser usados para aumentar o espaço de armazenamento de armas. Encontrei outro passando entre algumas flores.

Muito bem. Fiz as duas primeiras. A terceira e a quarta estavam em um lugar gelado. Bom, lá tem noite e dia, tem lugares que ventam, etc... E tem este lugar gelado e imagino que tenha lugares quentes também. Link perde vida rapidinho quando está muito frio.

Bem... Eu tinha descoberto umas receitas que davam imunidade contra frio (tudo que usa pimenta como ingrediente) e tentei, mas eu não gosto desta coisa de tempo contado e também tinha lido o diário do velho, quando descobri a cabana onde morava, que ele tinha uma receita perfeita contra o frio, mas tinha esquecido do terceiro ingrediente e recompensava com uma túnica contra frio.



Fui atrás da comida. Os ingredientes são o peixe de Hyrule, carne crua de caça e pimenta picante. Para facilitar, aqui está um gameplay mostrando como fazer a quest toda:



Pescar os peixes é bem fácil. Só ir neste lugar indicado e entrar na água e pegar. Agora a tal da carne crua. É na Floresta dos Espíritos. Recomendo ter flechas de fogo. Primeiro que é muito difícil encontrar um bichinho dando sopa por lá e segundo que eles correm assim que você se aproxima. O botão de caminhar, pressionado para cima, faz o Link andar agachado, sendo mais fácil se aproximar.

Minha roupa contra frio.

Tendo a roupa foi rapidinho ir nas últimas duas Shrines e conseguir os dois últimos orbes. Fui até o Templo do Tempo trocá-los e lá encontrei o velho que finalmente me daria o parapente para sair daquele pequeno mapa. O tempo todo desta quest de 4 partes eu encontrei o velho em vários lugares e me perguntava sobre quem seria.

No topo do templo ele finalmente revela sua história e todos os detalhes da história do monstro, Zelda e também sobre uma lenda a respeito do herói adormecido, Link, lógico. Ele pede para que mate o monstro e salve a princesa e o reino antes de desaparecer.



E eu, finalmente usei o parapente e ganhei o mundo de Hyrule!



Aqui está o mapa desta pequena parte. Cada Shrine é um dos quadradinhos azuis, a cabana do velho é a estrela e o outro ponto é o Templo do Tempo. O ponto acima de Eastern Abbey é a câmara inicial. Pode-se viajar de um ponto de shrine para outro simplesmente selecionando no mapa e usando a opção viajar. Rápido, prático e eficiente.

...

Este jogo é simplesmente incrível!!! Até onde sei não vi nada do muito - mas muito! - que tenho pela frente. Estou encantada, adorando, amando.

Nota 1.000.0000!


Está jogando? Venha papear conosco em nosso grupo no whatsapp: